19 de setembro de 2009

Está tudo muito bom, tudo muito bonito...

Mas aí o programa trava!! O que fazer?

Em primeiro lugar gente, desculpas por estar demorando tanto para postar esses dias, mas é que a quantidade de provas e lições está muito grande, além da correria do dia a dia que piora cada vez mais.. Peço que tenham paciência comigo...

Voltando ao post de hoje, estava eu feliz e saltitante fazendo um trabalho escolar importantíssimo, pois é interdisciplinar, lá no Movie Maker, sabe? Aquele programinha bem legal para se editar vídeos amadores... Pois é, quase terminando o bendito começa a travar! O que eu faço agora? Pesquisando na internet descobri que isso acontece direto, não só comigo, mas também com várias outras pessoas que estavam necessitando da ajuda do programa. Tudo bem, só que preciso entregá-lo segunda-feira gente, alguém tem alguma dica? Está ficando bem legal, se algum santo me salvar eu posto aqui quando obtiver a autorização da escola. MOVIE MAKER? Nunca mais!!!

Em segundo lugar, agradeço demais todos vocês que leem as minhas besteirinhas de rotina, seguem o blog e comentam, isso só levando minha auto-estima. THANK YOU FOR EVERYTHING!

Semana cheia de provas, trabalhos e derivados, estou totalmente esgotada, com dores de cabeça constantes e dor no corpo também... Seria cansaço? Queria esse final de semana curtir um teatro sei lá, mas as circuntancias são que a oposição está em vantagem, está quase tudo dando errado... Mas ainda assim agradeço à Deus, por tudo. Vou começar a fazer curso de informática, será que vai ser proveitoso? Estou aguardando uma vaga.

Aula de Língua Portuguesa de quinta feira ví uma música da Legião Urbana que intertextualiza um poema camoniano e passagens da Bíblia, me encantei...

Do CD Quatro Estações, Monte Castelo

Ainda que eu falasse
A língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor, eu nada seria...
É só o amor, é só o amor
Que conhece o que é verdade
O amor é bom, não quer o mal
Não sente inveja
Ou se envaidece...
O amor é o fogo
Que arde sem se ver
É ferida que dói
E não se sente
É um contentamento
Descontente
É dor que desatina sem doer...
Ainda que eu falasse
A língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor, eu nada seria...
É um não querer
Mais que bem querer
É solitário andar
Por entre a gente
É um não contentar-se
De contente
É cuidar que se ganha
Em se perder...
É um estar-se preso
Por vontade
É servir a quem vence
O vencedor
É um ter com quem nos mata
A lealdade
Tão contrário a si
É o mesmo amor...
Estou acordado
E todos dormem, todos dormem
Todos dormem
Agora vejo em parte
Mas então veremos face a face
É só o amor, é só o amor
Que conhece o que é verdade...
Ainda que eu falasse
A língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem amor, eu nada seria...

Beijinhos, aguardem outros posts, espero por vocês...



Receba minhas novidades!




Compartilhe essa postagem!!

Nenhum comentário:

Topo
Por Blogger | Design por Genesis Awesome | Blogger Template por Lord HTML